sábado, 1 de dezembro de 2007

Sobrenome




































SOBRENOMES

Nesta tarde Lorenzo comentou com Fortunato que conheceu uma familia, em Parma, sua cidade natal, de sobrenome Polesello.
Foi a deixa para que Fortunato começasse a falar sobre um assunto que lhe era muito prazeroso: genealogia da familia.
Contou ao amigo Lorenzo que sua família viveu sempre no Veneto, na província de Treviso. No séc. XVII, seu ancestral Marco Polesel e sua esposa Agnola, viveram e morreram na frazione de Bibano, na comune de Godega di Sant’Urbano. Os descendentes deste casal pioneiro também viveram em Bibano: Mattio (1633-1698), Giuseppe (1666), Angelo (1709-1782).
Até que Andréa, filho de Angelo e Maria Rosada, emigrou para a frazione de Francenigo, em Gaiarine. Andréa nasceu em 1734, em Bibano e morreu em Francenigo em 1820. As gerações que vieram depois de Andréa nasceram e morreram em Francenigo, Gaiarine. Giacomo (1674), Giuseppe (1793) e Pietro (1831), pai de Fortunato. Foi neste local que Fortunato, Regina e seus dois filhos nasceram, mas estavam imigrando para o outro lado do mundo... Outros ancestrais viveram em Mansué e Basalghele.
Lorenzo estava cada vez mais admirado com tanta informação. Fortunato explicou que, por ter estudado com os padres, teve acesso livre aos livros paroquiais. Copiava as informações sobre sua família e montava assim, sua árvore genealógica. Lorenzo gostou do assunto e quis saber o porquê das diferenças de grafia na escrita do sobrenome Pollesel.
Fortunato explicou que estas diferenças estão presentes desde os primeiros registros religiosos e civis de seus antepassados e que, na verdade, nunca existiu um consenso sobre qual seria a forma correta da escrita. A única certeza era que a escrita POLESEL era a mais antiga e aparece desde o séc. XVI. O primeiro ato oficial conhecido é o registro de batismo de Iseppo, escrito em 19 de março de 1674 pelo Padre Giorgio di Cancian, de Bibano, que diz assim: “Iseppo, filho de legítimo matrimonio de Mattio Polesel e di Maria, sua mulher".
Explicou ainda que a escrita POLESEL aparece no batismo das quatro gerações seguintes: Mattio (1633), Giuseppe (1674), Angelo (1709) e Andréa (1734). Já nos descendentes de Andréa aparece a escrita POLLESEL. Giácomo (1759), Giuseppe (1793), Pietro (1831) e com o próprio Fortunato, que nasceu em 1870. Esta mudança de grafia se dá com Andréa e é ele também que migra de Bibano para Francenigo.
Fortunato mostrou a Lorenzo uma curiosidade que ele havia garimpado nos livros paroquiais de Bibano, no “Líber descriptorum in Ecclesia S.ti Martino di Bibano ..”
Seu tio-avô Giobatta, nasceu em 1775 e foi batizado como POLESELLO, mas seu avô Angelo (1709) era POLESEL, e seu filho Sebastiano (1797) era POLESEL e seu neto Vincenzo (1827) era POLLESEL.
Com um único exemplo demonstrou ao amigo que a falta de consenso sobre a forma de escrita remonta ás mais antigas origens.
Lorenzo fica imaginando o quanto é interessante o estuda da genealogia. Ficou com vontade de pesquisar também.

Nenhum comentário: