Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2008

nossos antepassados

Imagem
NOSSOS ANTEPASSADOS
Desde o século XVI
Esta árvore genealógica é uma verdadeira preciosidade. Poucas famílias tem este privilégio. São informações de nossos antepassados desde o século XVI até hoje!
Estas informações só existem graças a Dona Amália Taurchini Polesel, esposa de Eddo Polesel, italianos que imigraram para a Venezuela e lá constituíram família e negócios.
Dona Amália, apaixonada por genealogia, incentivou seu sobrinho, Alessando Vaccher, filho de Delia Pollesel, a percorrer igrejas, cemitérios e cartórios de Treviso para resgatar informações que estavam esquecidas há mais de 500 anos.
Meu contato com D. Amália foi através de e-mails. Não tive a oportunidade de conhecê-la e, infelizmente, ela faleceu em 20 de abril de 2006, após longos anos de terrível enfermidade degenerativa.
Tenho por ela grande admiração, pois seu gesto, pioneiro e generoso, incentivou pesquisadores do mundo inteiro.
Pete Polesel, nos Estados Unidos e Renzo Polesel, na Itália, desenvolveram páginas na…

Irmã Angela Polesel

Imagem
Todo pesquisador iniciante de Genealogia tem um desejo secreto: descobrir ancestrais ilustres. Comigo não foi diferente. Acabei satisfazendo este feito, mas ao invés de um nobre, de um conquistador ou de um bárbaro cheio de ouro e prata, a minha heroína foi uma mulher humilde, bastante frágil em sua aparência física.
Não acumulou riquezas, títulos ou conquistas. Nem mesmo filhos seus. Optou pela vida religiosa e consagrou-se na pobreza, castidade e obediência no Instituto das Irmãs do Santo Nome de Deus, onde ingressou com apenas 16 anos. Morreu de malária com apenas 40 anos.

A heroína a quem dedico este livro e toda a minha pesquisa genealógica é a missionária italiana Angela Polesel.

Ela nasceu em Treviso em 1o. de setembro de 1935, numa família pobre. Ao terminar a 4ª. série da escola elementar, foi mandada pelos pais como babá para junto de uma família amiga. Eram tempos de pós-guerra, muito difíceis para todos e sacrifícios eram necessários.
Com 14 anos, uma tia freira a leva par…