terça-feira, 30 de junho de 2015

Márcia Pacheco aplaude historiador por livro sobre Madre Celina

O historiador Claudinei Pollesel receberá da vereadora Márcia Pacheco (PSDB) a moção de aplausos 124/2015, pelo lançamento do livro Madre Celina – Testemunha da Alegria. A propositura foi aprovada nesta segunda-feira, 29, na 39ª reunião ordinária.
Segundo a vereadora, Pollesel – que integra o IHGP (Instituto Histórico de Piracicaba) – coordenou a produção da obra e fará o lançamento em 5 de julho, após a missa das 10h30 no Mosteiro da Imaculada Conceição, na Vila Resende (avenida Armando Cesare Dedine, 891).
Madre Celina morreu aos 88 anos, em 10 de setembro de 2014. Desde então, informa a vereadora na propositura, as irmãs concepcionistas (Maria Beatriz, Maria Lúcia, Maria Inês, Rosa e madre Maria Antônia) queriam produzir um livro que retratasse a história da religiosa. Elas registraram no papel todas as suas lembranças e tiveram ainda a ajuda dos familiares.
A obra – com 500 exemplares e 200 páginas – contém fotos antigas e atuais, textos e 28 testemunhos de amigos, parentes e admiradores, além de religiosos, políticos, familiares, e pessoas próximas a Madre Celina. A receita da venda será utilizada para a construção de uma capela para guardar os ossários das irmãs que passaram pelo mosteiro.


Texto:  Rodrigo Alves - MTB 42.583

terça-feira, 23 de junho de 2015

MADRE CELINA - TESTEMUNHA DA ALEGRIA


O lançamento da biografia da Madre Celina será no dia 05 de julho de 2015, após a missa das 10.30 hs. na Capela do Mosteiro da Imaculada Conceição. Venha participar e leve com você um exemplar desta maravilhosa história!

segunda-feira, 15 de junho de 2015

HOMENAGEM Á MADRE CELINA - CENTRO DE CONVIVÊNCIA INFANTIL DO BAIRRO NOVO HORIZONTE

O CENTRO DE CONVIVENCIA INFANTIL DO BAIRRO NOVO HORIZONTE, EM PIRACICABA/SP, PASSA A SE CHAMAR “CENTRO DE CONVIVÊNCIA INFANTIL MENINO JESUS – MADRE CELINA”.

É uma homenagem póstuma da Diocese de Piracicaba, da Câmara de Vereadores e dos amigos á saudosa fundadora desta obra social que tanto beneficio traz á comunidade carente dos bairros de Novo Horizonte, Kobayat Líbano, Parque dos Sabiás, Conjunto da Amizade, Vila Liberdade, Jardim Paineiras e Santa Fé, na região periférica da zona oeste de Piracicaba.
HISTÓRICO: O Centro de Convivência Infantil foi sonhado e idealizado pelo Missionário Xaveriano, Pe. Vicente Tonetto e tornou-se possível com o apoio fundamental de Madre Celina. Mesmo sendo religiosa de clausura, no Mosteiro das Concepcionistas, Madre Celina atendeu o apelo do Pe. Vicente, “o pai dos pobres”, buscando doações entre os benfeitores do Mosteiro. Assim, deu todas as condições financeiras para que este centro pudesse existir e o tratou com extremo carinho desde o inicio, buscando, de forma constante e incansável, os meios para mantê-lo e equipá-lo com o necessário. A primeira denominação “Menino Jesus” foi sugestão da própria Madre e remete á sua grande devoção particular
O Centro de Convivência Infantil foi iniciado em 1985 pela Diocese de Piracicaba, passando em 1988 para a administração da Pasca, Pastoral do Serviço da Caridade. Foi um projeto incentivado por D. Eduardo Koaik, o “bispo da caridade”. Atende crianças com idade entre seis e oito anos, na área de educação infantil. As ações do C.C.I. buscam estimular o desenvolvimento da criatividade, o respeito, a fé e o raciocínio, assim como aproximar as crianças de hábitos saudáveis e prepará-las para o inicio da vida escolar. Acolhe mais de 50 crianças que estudam de segunda á sexta-feira, das 8 ás 11.30 horas. Oferece também atividades extras como excursões, educação musical e brinquedoteca.É indiscutível a grande importância deste Centro de Convivência Infantil para esta região periférica de Piracicaba, pois é um espaço onde as crianças podem estar em atividade, fora do horário escolar, longe das ruas ou mesmo do consumismo desenfreado causado pela televisão e computador. Nesta região existem mais de 1000 famílias em situação de risco, segundo dados do CRAS – Novo Horizonte.
HOMENAGENS: O descerramento da placa nominativa e da foto de Madre Celina aconteceu no dia 09 de maio de 2015, ás 10 horas, na sede do Centro de Convivência Infantil, localizado á Rua Frei Francisco Antônio Perin, 1091 – Bairro Novo Horizonte – Piracicaba/SP. A homenagem foi presidida pelo Revmo. Sr. Bispo da Diocese de Piracicaba, Dom Frei Fernando Mason e contou com a presença do Prof. Gabriel Ferrato, Prefeito do Município de Piracicaba, dos Vereadores Laércio Trevisan Jr, Pedro Cruz e Paulo Campos, representantes dos Deputados Roberto Moraes e Antonio Carlos de Mendes Thame, do Pe. Ricardo Martins, ex capelão do Mosteiro, do Pe. Rodrigo Simões Anholeto, pároco da Paróquia São Francisco Xavier e amigos de Madre Celina. Foi muito significativa a presença das sobrinhas da Madre Celina, as senhoras Maria Auxiliadora de Souza Bernardes e Inês de Souza Lucchesi, além de outros familiares que vieram de São Paulo e de Tatuí, exclusivamente para prestigiar o evento.
































domingo, 14 de junho de 2015

MADRE CELINA - TESTEMUNHA DA ALEGRIA

"MADRE CELINA - TESTEMUNHA DA ALEGRIA".

Foram 66 anos dedicados á oração, á caridade e á vida contemplativa dentro do Mosteiro da Luz, em São Paulo e Mosteiro da Imaculada Conceição, em Piracicaba, que agora poderão ser conhecidos através das páginas desta biografia organizada pelo historiador Claudinei Pollesel, do IHGP, com a preciosa colaboração das Irmãs do Mosteiro da Vila Rezende.

São 200 páginas, primorosamente organizadas pela Editora Life, de Campo Grande/MS, com uma rica coleção de fotos antigas e atuais, textos e testemunhos de amigos, parentes e admiradores, além da apresentação de Dom Fernando Mason, Bispo de Piracicaba e prefácio de Pe. Edvaldo Nascimento, Reitor do Santuário de Nossa Senhora dos Prazeres.

Madre Celina faleceu aos 88 anos em 10 de setembro de 2014 e deixou um rastro de realizações e obras de caridade. Foi uma das fundadoras do Mosteiro das Concepcionistas de Piracicaba á pedido de Dom Ernesto de Paula e, mesmo sendo irmã de clausura, atendeu o apelo de Pe. Vicente Tonetto, do Itapuã e fundou o Centro de Convivência Infantil Menino Jesus, que hoje leva seu nome, no bairro do Novo Horizonte, além de buscar meios para a construção de várias capelas em bairros carentes da Paróquia São Francisco Xavier, dos Missionários Xaverianos. Arrecadava alimentos para famílias pobres e houve meses que conseguiu distribuir mais de mil cestas básicas, graças ao grupo de amigos que formou ao seu redor.

Mas a característica principal de Madre Celina não foram suas obras, mas o dom de ouvir e aconselhar, irradiando fé e alegria. Seu bom humor era contagiante e assim devolvia o ânimo de viver para muitos que a procuravam. Sua figura imponente, de hábito branco e véu negro, olhar penetrante e sorriso fácil, contrastavam com as grossas grades do locutório, que a separava do mundo exterior. Ouvia á todos sem pressa e transmitia uma mensagem de paz, coragem e alegria no final de cada conversa. Nunca saberemos quantas pessoas foram ajudadas por ela, quantas mães foram consoladas através daquelas grades, quantos casais foram recuperados por suas orientações, quantos religiosos recuperaram o fervor de sua vocação através de seus ensinamentos, quantos jovens deixaram os vícios graças á sua orientação e intercessão, quantos pais de família puderem levar o alimento do dia para casa graças a bondade da madre...

A clausura foi para a Madre Celina a antecipação do paraíso, nunca um fardo ou um sacrifício. Abriu mão de estar presente em todos os momentos de sua família e de amigos, tornando-se uma monja de clausura com apenas 22 anos. De todas as experiências que esta escolha trouxe talvez a mais difícil tenha sido a morte de sua mãe, no inicio de sua vida religiosa, no Mosteiro da Luz, longe da presença da filha caçula.

Suas saídas do Mosteiro foram somente nas ocasiões que a Regra Concepcionista permitia: consultas médicas e votar nas eleições. Nunca se permitiu qualquer exceção! E era feliz, muito feliz por ser fiel.

Tudo isto e muito mais pode ser conhecido agora com o lançamento de sua biografia no dia 05 de julho de 2015, após a missa das 10.30 hs.no  Mosteiro da Imaculada Conceição, Av. Armando Cesare Dedini, 891 – Vila Rezende – Piracicaba/SP. Será como uma janela que se abre e nos permite dar uma olhada, uma espiada, na vida de uma religiosa que permaneceu  por mais de 60 anos enclausurada buscando a proximidade com Deus...

A obra também poderá ser adquirida nas livrarias Nobel (Rua Moraes Barros, 770), Zac Livros (Rua Rangel Pestana, 850) e Mater Dei (Rua Prudente de Moraes, 525), como também na secretária do Mosteiro e do Santuário de Nossa Senhora dos Prazeres. O preço será de $25,00 (vinte e cinco reais) e este valor será utilizado para quitar os custos da gráfica e para ajudar na construção da capela que abrigará o ossuário das irmãs falecidas.


“Soube como Santa Terezinha, ser missionária sem deixar a clausura. Atenta à vontade de Deus fez da sua vida a contemplação que move a ação. Rezou com o olhar voltado para o céu e para a terra. Falou de Deus garantindo orações às pessoas que lhe foram recomendadas. Falou de Deus atendendo as necessidades dos menos favorecidos, numa parceria de caridade com o Pe Vicente, Missionário Xaveriano. Falou de Deus construindo o Mosteiro das Concepcionistas em Piracicaba. Falou de Deus acolhendo com alegria cada dia de sua vida com os desafios e as realizações da consagração religiosa. Falou de Deus intercedendo de modo especial pelos trabalhos Pastorais da Paróquia e Santuário de Nossa Senhora dos Prazeres, que abriga o Mosteiro da Imaculada.
Que do céu Madre Celina reze ao Senhor Deus por todos nós. Amém.”
 Padre Edvaldo Nascimento - Pároco e Reitor do Santuário de Nossa Senhora dos Prazeres