terça-feira, 4 de outubro de 2011

Mãe







Mãe,






no dia 20 de setembro, dia que a senhora foi pro céu, eu recebi de Deus vários privilégios, mas não percebi a tempo o quanto Ele estava sendo generoso comigo:




* eu estava de folga e pude passar a manhã toda junto com a senhora e com o pai;



* almoçamos juntos e foi pra mim que a senhora preparou o último almoço, com pratos que sabia que eu gosto, arroz, feijão novo, virado de abóbora e salada de batata com ovos;



* fomos na chácara e colhemos amora e uvaia. Com uma canequinha a senhora colheu amoras para eu levar para a Victória.... Enquanto colhíamos estas frutas a senhora disse que queria fazer uma casa na chacara e que eu mudaria para a casa de Saltinho. Eu ri da idéia e disse que no futuro estaríamos todos na chacara, eu, o João e eles, mas cada um em sua casa;



* caminhamos pela chácara em busca de orquídeas floridas. A catleya branca, perto do poço, estava florida e a senhora ficou tão admirada por não ter visto ainda. A senhora comentou comigo sobre uma orquídea marron que não floria e eu a encontrei florida e quase caída da árvore. Este oncydium acabou sendo a última plantinha que a senhora plantou em Saltinho. A amarela tambem estava florida, com dois cachos, e a senhora fez questão de me mostrar.



* na hora de ir embora eu dei um beijo na senhora , recebi sua última benção e fui assim o último filho que a senhora viu e abençoou. Talvez foi assim por ser eu o caçula dos cinco e ter tido mãe por menos tempo que os outros quatro.






Meu Deus, se eu imaginasse que aquele seria o último dia de sua vida, minha mãe, e que eu estava tendo o privilégio de estar juntinho da senhora... eu teria dito que a amava e o quanto a senhora fará falta nas nossas vidas!....



Mesmo assim eu agradeço á Deus pois tudo aconteceu de uma forma simples e santa. Não houve sofrimentos, hospital, agulhas..... nada! Tenho certeza que foi um presente de Nossa Senhora Aparecida, como recompensa pelos terços diários que a senhora rezou a vida inteira.




Mãe, agora que a senhora está juntinho de Deus, peça á Ele que me conceda só mais um privilégio: que em sonho a gente se encontre e a senhora possa me contar como é o céu..... e eu possa dizer o quanto a amo e o que sinto muitas saudades...




Mãe, tudo que aconteceu naquele dia foi emocionante mas quero contar pra senhora algumas coisas que aconteceram e que ficarão na alma de todos nós:




- na hora do sepultamento caiu uma chuvinha fina e fria, como há meses não acontecia, sinal de que sua alma estava chegando no paraíso, como aprendi desde criança;



- na hora que o pedreiro assentava os últimos tijolos que lacrariam a sepultura o pai jogou um beijo com as mãos e disse baixinho: "Descanse em paz!", selando assim 58 anos de casamento;



- que o pai pediu que fosse construida uma capelinha na sepultura para colocar a imagem de Nossa Senhora Aparecida que a senhora tanto gostava e que ouvia suas preces toda noite.




Até um dia, mãe. Sua Benção.

















quarta-feira, 6 de abril de 2011

Praça Pe. Vicente Tonetto

PADRE PIRACICABANO É O NOVO ASSESOR NACIONAL DA JUVENTUDE

Setor Juventude

petoninhojuvenO novo assessor do Setor Juventude da CNBB é o padre salesiano Antônio Ramos do Prado (padre Toninho), que também teve seu nome aprovado no dia 24, durante o Conselho Permanente.

Em carta, o bispo responsável pelo Setor Juventude, dom Eduardo Pinheiro e o assessor nacional, padre Carlos Sávio, apontaram que o trabalho aumentou nos últimos anos por isso surgiram várias demandas para acompanhar a Juventude no Brasil. “A demanda de trabalho cresceu assustadoramente nesses últimos anos. O próprio padre Gisley, de saudosa memória, já estava convencido da urgência de se ter mais um assessor no quadro nacional para o acompanhamento dos jovens”, diz um trecho da carta.

Padre Toninho nasceu em 1962, em Piracicaba (SP). É salesiano desde 1990 e sacerdote há 13 anos. Atualmente responde pela Pastoral Juvenil na Província de São Paulo, pela assessoria estadual e nacional junto aos salesianos, pela assessoria regional no Cone Sul e por aulas ministradas na Filosofia e noviciado salesianos, bem como no curso de Extensão Universitária para Assessores de Pastoral do Centro Universitário Salesiano do Estado de São Paulo (Unisal).

Desde 2006 é assessor da Pastoral da Juventude Estudantil (PJE), Regional Sul 1 (São Paulo). Em 2006 e 2007 participou ativamente da organização do encontro dos jovens com o papa no Pacaembu (SP). Tem prestado assessoria em cursos para religiosos do Brasil na área de Teologia Pastoral e das Culturas Juvenis. Colaborou com a organização e o processo de aprovação do Curso de Extensão em Pastoral Juvenil ministrado pela Católica de Brasília. Atualmente é membro da Comissão Colegiada de Assessores do Setor Juventude da CNBB.

Devido aos diversos compromissos assumidos com a pastoral de sua Província, com os salesianos do Brasil e com o término de seu mestrado, padre Toninho continuará, ainda, por estes próximos meses, em São Paulo exercendo de lá tudo quanto corresponder a sua missão junto ao Setor Juventude da CNBB, ao lado de padre Carlos Sávio.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Experiencia missionária de Pe. Romão


Experiencia missionária de Pe. Romão - belíssimo testemunho!

Claudinei, boa noite!

Obrigado por ter me adicionado aos amigos dos xaverianos. Realmente a família xaveriana é inesquecível e fez uma bela diferença na vida de quem por ela passou.

Confesso que a semente do espírito missionário ficou em mim plantada, embora eu não tenha me tornado um missionário xaveriano. A casa regional das Irmãs Xaverianas se encontra próxima da minha Paróquia. São gente abençoada por quem temos especial estima. Por intermédio das irmãs xaverianas a minha Paróquia começou em 2009 uma experiência missionária em União do Norte MT (localizada há 2.300 km de Londrina e há 100 km antes do Estado do Pará), onde elas possuem uma comunidade com 4 religiosas. Para que você possa conhecer um pouco desta história missionária, como ela começou e as religiosas que lá se encontram, envio o link de 3 curtos vídeos que se complementam:

1º) Introdução da viagem missionária e acolhidado Bispo:

http://www.youtube.com/user/AUXILIADORAONLINE#p/u/35/YPv2PCBeIi4

2º) Realidade sócio-econômica-pastoral feita pelo Pe Renato:

http://www.youtube.com/user/AUXILIADORAONLINE#p/u/34/JCqqhd1_los

3º) Realidade das famílias, dos jovens e testemunho da Ir. Teresita:

http://www.youtube.com/user/AUXILIADORAONLINE#p/u/33/aIhYnnHM23s

Feito esse primeiro contato, organizamos para julho de 2010 uma missão na qual levamos 45 leigos da minha Paróquia para União do Norte, os quais chegando lá foram divididos em 17 grupos e enviados às comundades. Levamos 2 mil Bíblias que foram distribuídas gratuitamente às famílias e levamos também 3 médicos que atenderam gratuitamente a população. Foi um tempo especial de muita graça de Deus para aquele bom povo e também para nós que fomos, visto que a missão é uma via de mão dupla, na qual se dá e também se recebe. Veja um outro curto vídeo com alguns testemunhos desta missão. As primeiras imagens são uma introdução ao percurso da viagem e em seguida encontram-se os testemunhos:

http://www.youtube.com/user/AUXILIADORAONLINE#p/u/13/2FF6CdKB0fw

Claudinei, escrevi e partilho esta história apenas para dizer o quanto o carisma missionário xaveriano me contagiou e quanta diferença faz no meu trabalho pastoral. Através de mim esse dom / carisma contagiou também toda a minha paróquia e tantos leigos que agora são também protagonistas da missão. E com a graça de Deus navegaremos em águas cada vez mais profundas. Já estamos com a viagem missionária de 2011 agendada e muito em breve teremos mais uma experiência abençoada para partilhar. Um grande abraço e fique na paz de Deus.

Pe Romão Antonio M. Martins.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Luiz Antonio Copoli - amigo querido



na foto abaixo, os irmãos de Mons. Jorge Simão Miguel, tio Luiz, Teresinha e Flavio e Claudinei na extinta Churrascaria Beira Rio.... neste dia tio luiz e terezinha comemoraram 25 anos de casados!


quinta-feira, 3 de março de 2011

CARMELO DE PIRACICABA - 60 ANOS DE FUNDAÇÃO


CARMELO DE PIRACICABA – 60 ANOS DE FUNDAÇÃO

Claudinei Pollesel

As irmãs carmelitas de Piracicaba estão em festa pelo jubileu de 60 anos de fundação do mosteiro.

As celebrações em ação de graças por este jubileu serão no dia 30 de abril de 2011, ás 10 horas da manhã e ás 17 horas, na capela do mosteiro. A celebração da manhã será presidida por D. Fernando Mason, bispo da diocese de Piracicaba e abrilhantada pela apresentação do GRUPO SCHOLA CANTORUM SANCTE MICHAEL ARCHANGELE, além do coral das irmãs sob a regência da Profa. Cidinha Mahle. A celebração da tarde será presidida pelos monges beneditinos, Dom Paulo Henrique G. Coelho e Dom Guilherme Pinto.

HISTÓRIA:

As primeiras carmelitas chegaram em Piracicaba em 11 de abril de 1951, sob a liderança de Madre Leopoldina de Santa Teresa. Este grupo inicial acabou se dissolvendo e um segundo grupo chegou em 13 de julho de 1952, assumindo com coragem e alegria as dificuldades próprias de uma fundação.

Este grupo era formado por quatro religiosas do Mosteiro de Santa Teresa, de São Paulo e concretizaram o projeto de Dom Ernesto de Paula, de fundar um Carmelo na recém criada diocese de Piracicaba. Sob a liderança de Madre Ana de Jesus (Irene David Medeiros), vieram Ir. Teresa do Menino Jesus (Maria do Carmo Nogueira Garcez), Ir. Teresa Cristina de São José (Maria Teresa Nogueira Garcez) e Ir. Luisa Inês de Jesus (Hermínia dos Santos).

Instalaram-se provisoriamente no casa do bispo, que ficava na rua 13 de maio, até que fosse construído o mosteiro definitivo, o que foi possível graças aos esforços de Dom Ernesto de Paula e a generosidade da família de D. Elvira Boyes, que doou o terreno na Rua José Ferraz de Camargo, 72 – São Dimas. O mosteiro recebeu o nome de Carmelo Imaculado Coração de Maria e São José e é uma bela construção em estilo colonial brasileiro, com silhueta elegante, porem modesta, recolhida e aconchegante.

Hoje, após 60 anos de fundação, o Carmelo conta com 18 religiosas, sendo 14 professas de votos solenes, três professas temporárias e uma noviça. Curiosamente, pela primeira vez, uma das irmãs de voto solene, é piracicabana.

Das pioneiras, três já faleceram. Ir. Teresa do Menino Jesus, ou Madre Teresinha como é carinhosamente chamada, continua na ativa, no alto de seus 85 anos. É testemunha viva da grande luta que foi a instalação e consolidação do Carmelo de Piracicaba e de seu dia a dia nestes 60 anos. Ouvir seus relatos é um privilégio, pois possui memória fantástica e narrativa elegante e agradável.

O CARMELO HOJE

O dia da carmelita inicia-se com o despertar às 4,30 horas e é harmonicamente distribuído entre horas de oração e trabalho, refeições e momentos de convivência comunitária. Encerra-se ás 22 horas após o Ofício das Leituras (Matinas).

As irmãs são responsáveis por todos os serviços domésticos do Convento: varrer, lavar, cozinhar, jardinagem e horta. Cuidam dos ofícios da casa: rouparia (roupas das Irmãs), sacristia, conservação da igreja, enfermaria (cuidado e tratamento das Irmãs enfermas). Todas se revezam e se ajudam nas diversas ocupações diárias. São encarregadas da confecção das alfaias para as igrejas e tudo o que concerne a Celebração Eucarística e aos ministros. Realizam também quase todo tipo de artesanato e aceitam encomendas de trabalhos.

Depois de fazer os votos perpétuos as religiosas não saem da clausura, a não ser para cumprir obrigações civis, como votar durante as eleições e para consultas médicas. As tarefas externas da casa e o serviço de portaria e atendimento aos visitantes são feitas por uma das irmãs que é chamada de irmã veleira e tem autorização para permanecer fora do claustro.

A priora, isto é, a superiora do Carmelo, eleita pelas irmãs através de votação a cada três anos, é a Madre Maria Constantina do Coração de Jesus.


Os mosteiros de clausura e mesmo outras ordens religiosas mantém o antigo costume da troca de nome, significando um renascimento, uma vida nova, após emitir os votos religiosos de pobreza, castidade e obediência. Depois de fazer os votos perpétuos as religiosas não saem da clausura, a não ser para cumprir obrigações civis, como votar durante as eleições e para consultas médicas. As tarefas externas da casa e o serviço de portaria e atendimento aos visitantes são feitas por uma das irmãs que é chamada de irmã veleira e tem autorização para permanecer fora do claustro.

(Claudinei Pollesel, do I.H.G.P.)

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Pe. Giovanni Murazzo, pároco do Coração de Maria.


Sábado, 19/02/2011, 19 hs. Ao atravessar solenemente a nave principal da Igreja Matriz do Imaculado Coração de Maria, Pe. Giovanni Murazzo, missionário xaveriano, tornou-se o 14º. Pároco desta grandiosa paróquia da Diocese de Piracicaba.

A procissão de entrada formada pelo Revmo. Sr. Dom Fernando Mason, bispo de Piracicaba e pelos confrades: Pe. Domenico Borroti,superior provincial dos xaverianos, Pe. Mario Tognali, Pe. Wagner Rodrigues Pereira e Pe. Carlos Marcelo Franz, percorreu a igreja lotada de amigos/fiéis, representando todas as 15 comunidades que formam a paróquia da Paulicéia. Significativa a presença das Irmãs Franciscanas do Coração de Maria.

A posse do Pe. Giovanni Murazzo adquire um significado maior pois neste ano de 2011 comemora-se 30 anos da chegada dos Missionários Xaverianos neste santuário mariano.

Durante a bela cerimônia de posse, carregada de simbolismos e esteticamente bela, com certeza houve aqueles que lembraram com saudade, carinho e gratidão dos párocos anteriores que construíram a história da igreja da Paulicéia.

Coube aos mais antigos lembrarem-se da figura paternal e folclórica do Pe. João de Echebarria Torre, construtor da matriz e da casa paroquial. Sua face bondosa e enigmática, eternizada em foto na porta da sacristia, ajuda as gerações mais novas e conhecerem um pouco deste grande pastor, que jamais será esquecido.

Houve também quem recordasse o Pe. Oscar Ferraz do Amaral, o 1º. Pároco, quando ainda as missas eram celebradas na capelinha, construída pela família Nardin. Pe. Oscar, exorcista, figura exagerada e controversa, que abandonou a fé católica e o próprio sacerdócio, após 27 anos de ordenação.

Fez-se presente também a figura ilustre e imponente de Mons. José Nardin, em sua inseparável batina preta, grande orador, cativante em suas palavras trabalhadas como pedras preciosas e pelo amor e zelo á liturgia. Acompanhou os últimos anos de vida do Pe. João e assumiu a paróquia após a sua morte.

Como não citar e recordar a pessoa de Dom Aniger Francisco de Maria Melillo, 2º. Bispo de Piracicaba, que se tornou pároco em 1978, dirigindo a paróquia por sete meses. Gesto humilde e generoso do saudoso bispo que transferiu o palácio episcopal para a Rua Antonio Bacchi, 1065 e neste humilde endereço atendeu o povo simples da periferia, exercendo seu ofício de bispo e de pároco, com a ajuda do então seminarista Rubens Marin, hoje Monsenhor, e dos Freis capuchinhos da Igreja dos Frades.

A transição da paróquia aos xaverianos coube aos Pe. Joaquim de Paula Correa. Ex redentorista, com voz de trovão, enérgico, com fama de bravo, impaciente e duro, mas com coração de menino e cheio de zelo pela igreja.

N a noite de 13 de fevereiro de 1981, com a presença de Dom Eduardo Koaik, então bispo diocesano, os xaverianos assumiram a paróquia. Estiveram presentes á este momento histórico: Mons. Luiz Gonzaga Giuliani, chanceler, Pe. Joaquim de Paula Correa, Pe. Rafael Bartoletti, 1º. Pároco Xaveriano, Pe. Giuseppe Chiarelli, Pe. Francisco Javier Del Valle Paredes, Pe. Luigi Médici, Pe. Stanislao Pirola . Junto com o povo estavam 13 seminaristas xaverianos que vinham de Campo Mourão para o seminário que passaria a funcionar na casa paroquial da Paulicéia e que teria na pessoa do Pe. Giuseppe Chiarelli, Pe. Zezinho, a figura do reitor.

Nestes 30 anos muitos missionários xaverianos passaram pelo altar do Imaculado Coração de Maria e muito foi conquistado, tanto no campo espiritual como material. Registrar o nome destes xaverianos é uma forma de gratidão.

Foram nomeados párocos:

Pe. Rafael Bartoletti, Pe. Jose Ibanez Serna, Pe. Francisco Javier Del Valle Paredes (atual bispo de Campo Mourão/PR), Pe. Celito Nuermberg, Pe. Gino Masini, Pe. Luiz Pinto de Toledo, Pe. Dante Volpini, Pe. Domenico Borrotim e Pe. Giovanni Murazzo.

Foram vigários paroquiais ou reitores do seminário:

Pe. Giuseppe Chiarelli, Pe. Jaime Doneda, Pe. Arnaldo de Vidi, Pe. Jose Eugenio de Oliveria Menezes, Pe. Jose Maria Ribeiro, Pe. Jair Julião, Pe. João Bortolocci Filho, Pe. Sandro Zanchetti, Pe. Roberto Mazziero, Pe.Mario Codani, Pe. Roberto Beduschi, Pe. Vicente Tonetto, Pe. Mario Tognali, Pe. Mario Minutti, Pe. Romano Codini, Pe. Justin Muchapa Tunguli, Pe. Carlos Marcelo Franz e Pe. Wagner Rodrigues Pereira.

Toda esta herança foi entregue ontem aos cuidados do Pe.Giovanni Murazzo que, formando comunidade com Pe.Mario Tognali e Pe. Wagner Pereira Rodrigues, continuarão dirigindo a comunidade de fiéis de quase 40.000 pessoas, confirmando-os na fé e na caminhada.

O desafio é grande, mas a Graça é maior.

Missa de posse do Pe. Giovanni Murazzo na Paróquia Imaculado Coração de Maria- 19/02/2011


Pe. Domenico Borroti, pároco anterior e atual superior provincial dos Missionários Xaverianos.

Pe. Carlos Marcelo Franz, Pe.Mario Tognale, Pe. Giovanni Murazzo e Dom Ferando Mason, bispo de Piracicaba.

Pe. Mario, Pe. Giovanni, Dom Fernando e Pe. Wagner.
Pe. Giovanni proclamando o Santo Evangelho.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Canonização de Dom Guido Maria Conforti


CIDADE DO VATICANO, 14 FEV (ANSA) - O sacerdote italiano Luigi Guanella e o fundador dos Missionários Xaverianos Guido Maria Conforti em breve serão proclamados santos, anunciou hoje o Vaticano, precisando que em 21 de fevereiro se realizará o consistório para a sua canonização.
O consistório também irá abordar a canonização da religiosa espanhola Bonifacia Rodríguez de Castro, fundadora da Congregação das Irmãs de São José.

Guanella, beatificado em 1964, nasceu em Fraciscio di Campodolcino (Sondrio, região da Lombardia, norte da Itália) em 1842 e foi ordenado sacerdote em 1866.
Em sua atividade pastoral se aproximou das experiências de Cottolengo e de Dom Bosco, com quem se reuniu em Turim e passou três anos.
Em 1881 fundou as Irmãs da Caridade e as Filhas de Santa Maria da Providência, que rapidamente se espalharam pela Itália, América, Ásia e África.
Em Roma, com a ajuda de Pio X, surgiu a Basílica do Trânsito de São José. Guanella interveio com Dom Orione no terremoto de Marsica, na Itália central, em janeiro de 1915, e morreu alguns meses mais tarde.

Já Guido Maria Conforti nasceu em Parma em 1865 e devido aos problemas de saúde que o afligiam desde a infância não pôde trabalhar na agricultura, como seu pai queria, e nem seguir a vida como missionário.
No entanto, ele não desanimou e comprou uma casa para formar jovens missionários. Foi assim que nasceu a Pia Sociedade Xaveriana. Os primeiros xaverianos foram para a China em 1899.
A missão foi afogada no sangue pelo Levante dos Boxers (um movimento antiocidental e anticristão na China), mas não parou. Enquanto isso, Conforti se tornou arcebispo de Ravenna em 1902.
Dois anos mais tarde deixou essa tarefa por motivos de saúde. Após melhorar, o Papa o enviou como bispo para Parma, diocese da qual já tinha sido vigário e que dirigiu por 25 anos, realizando cinco visitas pastorais às suas 300 paróquias.
Conforti morreu em 1931 e foi beatificado em 1966. (ANSA)

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Caminhando e Rezando em Piracicaba - 03


10/02/2011 - Nesta manhã o local escolhido foi a estação da Paulista. Local lindo, bem cuidado e cheio de outros caminhantes. às 6 e meia as luzes artificais se apagaram e pudemos apreciar, embasbacados, o nascer do sol.... O céu ficou tingido de vermelho, laranja e azul e tiremos que parar para dar glória ao Criador de tantas maravilhas! Um balão sobrevoou a estação e expliquei ao Pe. Giovanni que nossa Piracicaba é referencia no baonismo. Falamos sobre a canonização do fundador e sonhamos juntos a possiblidade de estar lá... As limitações financeiras existem e são fortes,mas eu sonho em estar em Roma neste dia... sonhar ainda é grátis.
Pe. Giovanni me mostrou um belo poema escrito pelo Padre Dante Volpini que fala do sonho do Pe. Roberto Beduschi de ver Dom Guido declarado o terceiro padroeiro das missões. Quem sabe o Papa nos ouve e faz este decreto. Sonhos e orações!

Caminhando e Rezando em Piracicaba - 02


As seis da manhã de 08/02/2011 iniciamos nossa caminhada. O local escolhido foi o Parque da Ressurreição. Local bonito, florido e cheios de belas obras de arte, em forma de esculturas e mosaicos.
Pe. Giovanni me contou sobre as iniciativas que os xaverianos estão tomando para comemorar e divulgar a canonização do Beato Guido Maria Conforti. Comentou das iniciativas de Pe. Mario celli, confeccionando um folder com a história do milagre brasileiro, de Belo Horizonte e um marcador de páginas com o histórico de Dom Guido.
Todos os xaverianos e amigos estamos na expectativa da chegada do dia 19 quando enfim será aunciada a data tão esperada e querida da canonização do beato fundador.
Após esta conversa inicial iniciamos o terço pedindo a proteção das almas do purgatório dos 5 continentes. Pe, Giovanni fez presença e lembrança da frase de Paulo VI, que diz: "alma de místico em corpo de atleta." Perto das 7 horas encerramos nosso terço/caminhada, agradecidos e felizes. Fez falta a presença de outros vivos......

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

A capela da Imaculada Conceição e seus capelães

(Dom Ernesto de Paula e as primeiras irmãs concepcionistas de Piracicaba)

MOSTEIRO DAS CONCEPCIONISTAS

A capela da Imaculada Conceição e seus capelães

O Mosteiro das concepcionistas de Piracicaba foi fundado em 1956 por iniciativa de Dom Ernesto de Paula. Até 1972 ficou instalado no Palácio Episcopal, na Rua 13 de maio, no centro de Piracicaba, sendo então transferido para o endereço atual, na Vila Rezende.

A capela do Mosteiro é dedicada á Imaculada Conceição e as missas são celebradas todos os dias ás sete horas da manhã, sábados ás dezessete horas e domingos ás dez horas e trinta minutos.

É uma construção simples, despojada de enfeites ou adereços, ao estilo do mosteiro, também muito sóbrio. Além da bela imagem da Imaculada Conceição, existe a do Coração de Jesus, a de São José, e a de Santa Beatriz da Silva, fundadora da Ordem da Imaculada Conceição, as concepcionistas. Imagem esta, confeccionada em Portugal e doada ao Mosteiro da Luz, em São Paulo. Veio para Piracicaba junto com as cinco irmãs pioneiras, fundadoras do Mosteiro. Em sua cabeça repousa uma bela coroa de pedras verdadeiras e uma estrela. O pedestal em que está colocada foi confeccionado em madeira de lei pelo luthier piracicabano Nelson Polizel. Causa espanto e admiração a riqueza de detalhes e o exímio acabamento proporcionado pelo artesão, que é também amigo e vizinho do mosteiro.

Os padres responsáveis pelas celebrações no mosteiro são nomeados pelo bispo e recebem o título de capelão. Desde sua fundação exerceram esta função os seguintes sacerdotes:

Dom Ernesto de Paula - nasceu em São Paulo, em 5 de fevereiro de 1899, filho dos italianos Luiz de Paula e Constantina Cundari de Paula. Foi ordenado sacerdote no dia 14 de agosto de 1927, na Matriz de Santa Cecília, pelo arcebispo de São Paulo, Dom Duarte Leopoldo e Silva.
Em 26 de novembro de 1941, foi nomeado bispo de Jacarezinho (PR). Sua ordenação episcopal ocorreu em 4 de janeiro de 1942, na Igreja de Santa Ifigênia, sendo sagrante Dom José Gaspar de Affonseca e Silva, arcebispo de São Paulo, e consagrantes Dom Paulo de Tarso Campos, então bispo eleito de Campinas (tomou posse no mês de março) e Dom Gastão Liberal Pinto, bispo de São Carlos.
No dia 30 de junho de 1945, o papa transferiu-o para Piracicaba, tomando posse no dia 8 de setembro. Governou nossa diocese até 9 de janeiro de 1960, quando a Santa Sé aceitou sua renúncia.
Faleceu no dia 31 de dezembro de 1994, aos 95 anos de idade, no Hospital Santa Isabel. Está sepultado na cripta da Catedral da Sé, na capital paulista.
Dom Ernesto recebeu o título de “Cidadão Piracicabano”. É nome de uma rua no Jardim Boa Esperança, em Piracicaba, e de uma praça em São Paulo.

Mons. Cecilio Cury - Nasceu em 7 de fevereiro de 1905, em São Paulo. Ordenado padre em Campinas, aos 4 de setembro de 1932. Trabalhou em Descalvado, Leme, Artur Nogueira, Indaiatuba, Santa Maria da Serra, Capivari, São Pedro, Águas de São Pedro, Rio das Pedras e Piracicaba, onde foi professor no Seminário Diocesano, Auxiliar na Catedral e na Matriz da Vila Rezende, Chanceler da Cúria e Capelão das Missionárias de Jesus Crucificado e da Capela Curada de Monte Alegre. Falecido em Piracicaba aos 27 de setembro de 1983, está sepultado no Cemitério de Rio das Pedras. É nome de uma travessa em Piracicaba.

Dom Aniger Francisco de Maria Melillo - nasceu em Campinas em 27 de junho de 1911, filho de Vicente Melillo e Regina Morato Melillo. Foi ordenado sacerdote em 31 de dezembro de 1933 Era pároco na cidade de Iracemáplois/SP quando foi nomeado bispo de Piracicaba em 29 de maio de 1960

Faleceu em 17 de abril de 1.985, no Instituto do Coração, em São Paulo, aos 74 anos de idade. Foi velado em Piracicaba, na Catedral de Santo Antônio, em cuja cripta se encontra sepultado. Na cidade de Piracicaba, Dom Aníger é patrono de uma escola no bairro Bosque dos Lenheiros e nome de uma rua no bairro Jardim Ipanema.

Dom Salvador Paruzzo – nasceu em 15 de outubro de 1945 em Montedoro, Caltanisseta, Italia . Foi ordenado padre em 29 de junho de 1969. Chegou à diocese em 1979, a convite de Dom Aníger, assumindo, em 24 de novembro, a recém-criada Paróquia São Pedro, em Piracicaba. Em janeiro de 1985 assumiu como reitor do Seminário Teológico e pároco da Paróquia São José, em Santa Bárbara, ofícios que exerceu até março de 1990. Deixou a diocese para dedicar-se totalmente à “Obra de Maria”, do Movimento dos Focolares, em Vargem Grande Paulista, Diocese de Osasco.

Em 30 de dezembro de 1998, o papa João Paulo II erigiu a Diocese de Ourinhos e nomeou o padre Salvador como primeiro bispo. Sua ordenação episcopal ocorreu em 19 de março de 1999 e, dois dias depois, tomou posse naquela diocese.

Mons. Luis Coelho Mendes - nascido aos 30 de dezembro de 1927, em Piracicaba, foi ordenado padre por Dom Ernesto de Paula, aos 8 de dezembro de 1950. Foi vigário Cooperador da Paróquia São João Batista de Capivari, Vigário Ecônomo de Charqueada, Vigário Auxiliar da Catedral Santo Antônio, Pároco de Santa Bárbara por dez anos, Vigário-geral da diocese, Reitor do Seminário Diocesano, Vigário Paroquial da Paróquia Imaculada Conceição da Vila Rezende e Capelão Auxiliar do Lar dos Velhinhos. Recebeu em 25 de abril de 1980 o título de “Cidadão Barbarense”. É autor do livro “Semeando”, que contém comentários do Evangelho. Faleceu, aos 14 de novembro de 1997, em Piracicaba, sendo sepultado no Cemitério da Saudade. É nome de rua em Santa Bárbara D´Oeste e em Piracicaba, no Bairro Boa Esperança.

Padre Otto Dana - natural de Dr. Pedrinho, SC, onde nasceu em 4 de setembro de 1938. Foi ordenado padre em 18 de março de 1967. É pároco da Paróquia Sant´Ana, em Rio Claro, onde tomou posse em 4 de fevereiro de 2006.
Foi Cura da Catedral, pároco da Paróquia Santo Antônio. Tem especialização em Filosofia da Educação, mestrado em Ciências Sociais e doutorado em Sociologia da Religião. Foi professor da UNESP, no campus de Marília.

Padre Vicente Tonetto - Nasceu em San Doná del Piave, Província de Veneza (Itália), em 28 de outubro de 1927, filho de Luigi Tonetto e Maria Biazon Tonetto. Missionário da Pia Sociedade de São Francisco Xavier para Missões Estrangeiras (xaverianos), foi ordenado diácono em 25 de junho de 1960 e, quatro meses depois, em 16 de outubro, foi ordenado sacerdote. Em 1962, veio para o Brasil. Após breve passagem pelo Rio de Janeiro, atuou em várias cidades do Paraná. Em 1981 foi transferido para Piracicaba, onde foi o primeiro pároco da Paróquia São Francisco Xavier, ofício que desempenhou por 15 anos. Depois de trabalhar um tempo no Paraná, retornou à paróquia de Piracicaba, onde foi vigário-paroquial por aproximadamente dois anos. Depois, exerceu seu ministério em outras cidades, no Brasil e na Itália. Retornou à nossa diocese em maio de 2007, dirigindo por alguns meses a Paróquia Sagrado Coração de Jesus, em Saltinho, onde recebeu da Câmara Municipal o título de "Cidadão Saltinhense". Em fevereiro de 2008, transferiu-se para a Paróquia Imaculado Coração de Maria, em Piracicaba, como vigário-paroquial. Em viagem de férias na Itália, em sua cidade natal, sofreu grave acidente; após longa internação, faleceu no dia 10 de setembro de 2010, com 82 anos de idade e 49 de sacerdócio. È nome de rua e praça em Piracicaba.

As irmãs e a comunidade da capela lembra com muito carinho e saudades de outros padres que celebraram com ou sem nomeação de capelão e que se tornaram amigos :da diocese, Cristóvão, Miguel Gil e Giovanni Giglio, os salesianos Manoel Pinto Pereira e Antonio Feltrin ,os xaverianos João Bortolocci Filho, Alécio Cabras, Rafael Bartoletti, Claudio Bratti , Mario Tognali e Bruno Boschetti.

O atual capelão é o Pe. Ricardo Martins, natural de Rio Claro/SP, onde nasceu em 25 de maio de 1966. Foi ordenado padre em 13 de dezembro de 1998. É pároco da Paróquia São Lucas, em Piracicaba, onde tomou posse em 19 de agosto de 2006. É articulador diocesano das Novas Comunidades e diretor espiritual dos Vicentinos. Iniciou seu ministério como vigário-paroquial da Paróquia Santa Bárbara, em Santa Bárbara D´Oeste. Em 2000 assumiu a Paróquia São Francisco de Assis, em Piracicaba, como administrador paroquial; depois tornou-se pároco.

Aos finais de semana e sempre que Pe. Ricardo não pode estar presente quem celebra é o Pe. Antonio Balestiero, salesiano nascido em Piracicaba.

De uma ou outra forma, todos estes padres contribuíram para o crescimento espiritual da comunidade dos amigos do Mosteiro. Em todas as missas a capela fica repleta de fiéis, agradecidos pelo privilégio da missa diária. Tanto que as Irmãs pensam em ampliar a capela para melhor acolhimento dos fiéis.

Ao final das celebrações é comum ver um pequeno grupo se formar em frente ás grades da clausura para uma pequena conversa com as irmãs. É momento de paz e distribuição de conselhos e bênçãos, tão importantes e raros numa cidade grande....

autógrafo - Mons. Jorge Simão Miguel


autógrafo - Padre Vicente Tonetto - saudades...



SÃO GUIDO MARIA CONFORTI, terceiro padroeiro das missões


O Sonho do Pe. Roberto Beduschi

1. São Francisco Xavier foi nas missões
pregando o evangelho nos países,
foi na índia, na Malésia e no Japão
lá fundando a Igreja nas raízes.

2. Santa Teresa do Menino Jesus
rezou pelas missões no seu convento,
ofereceu ações e sacrifícios,
papel de coração desenvolvendo.

3. Ambos são das missões padroeiros,
desta linha apostólica da Igreja,
e os apóstolos foram pregoeiros
da Boa nova aos povos benfazeja.

4. Após falar dos dois com entusiasmo
o Xaveriano falou do Fundador:
foi bispo de diocese e aberto ao mundo,
de duas greis levou o cargo de Pastor.

5. Arriscou uma ousada profecia,
que pudesse haver mais um padroeiro,
com Xavier e com Teresa, bom seria
ser Dom Guido Conforti o terceiro.


6. "Por nós e por todos nós" Jesus ofereceu
o seu sangue, dos pecados remissão:
cada cristão trabalhe em seu ambiente
e acompanhe em todo o mundo a Missão.

Pe. Dante Volpini, SX

(foi numa reunião dos padres Xaverianos em Piracicaba que o Pe. Roberto Beduschi fez esta reflexão, falando do Beato Dom Guido Maria Conforti como possível terceiro Padroeiro das Missões.)

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Caminhando e Rezando em Piracicaba - 01


TERÇO - CAMINHADA em Piracicaba -
edição no. 1 - 05/02/2011

Pe. Giovanni Murazzo e eu, por uma delicadeza de Deus, estamos em Piracicaba e retomamos nosso antigo hábito de caminhadas pela manhã. Em São Paulo caminhavamos pelo Parque da Aclimação, pois ambos morávamos nas redondezas. Aqui em Pira caminharemos pela área de lazer do trabalhador e pelo Parque da Ressurreição.
Das caminhadas paulistanas surgiram muitas ideías. Algumas tornaran-se realidade, como por exemplo, as homenagens ao Pe. Luigi Medici em seu anoversario de 60 anos de ordenação, e outras continuaram no campo das utopias e sonhos.
Nesta primeria caminhada piracicabana esteve conosco o Mario, amigo dos xaverianos de São Paulo, que veio na tarde anterior transportando o restante da "mudança" do Pe. Giovanni.
Rezamos e falamos muito. Falamos mais que rezamos nesta primeira caminhada e teremos que consertar esta falha na próxima edição, pois a primeira intenção é REZAR O TERÇO. Mario comentou nossa ansia de falar, partilhar, contar, saber mais das coisas da Igreja. Eu ressaltei que a cola que nos une é o amor extremo e exagerado pelas coisas e pela vida da nossa Igreja, tão cheia de vida e de possibilidades. Pe. Giovanni nos fez rezar repetindo a verdade: "JESUS NOS DA A PAZ, MAS NÃO NOS DEIXA EM PAZ!". Entreguei ao Pe. Giovanni o primeiro rascunho do livro "DIÁRIO DE UM HOMEM FELIZ", escrito pelo Pe. Luigi Médici e que publicaremos com a ajuda da comunidade da Paróquia Nossa Senhora Medianeira, de Santa Mariana/PR.
Enfim está inaugurada as caminhadas com terço, agora em edição piracicabana.
Que Nossa Senhora do Equilibrio e São Guido Conforti, aceite estas nossas orações e nos ajude a sermos mais missionários e melhores pessoas. Amen!

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Canonização de Dom Guido Maria Conforti


grande e bela noticia:
o papa Bento XVI receberá em audiencia no dia 19 de fevereiro os Padre Rino, superiior geral dos missionários xaverianos, Pe. Camara, postulador da causa e o bispo de Parma para anunciar a data de canonização do querido Dom Guido Maria Conforti.
Graças a Deus por tão bela e santa noticia!

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Nova Direção Regional dos Missionários Xaverianos



Pe. Domenico Borroti, novo provincial dos missionários xaverianos,no centro, Pe. João Bortolocci Filho, vice provincial e o conselho: Pe. Claudio, Pe. Sante e Pe. Rafael.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

PADRE GIOVANNI MURAZZO - NOVO PÁROCO DA PAULICÉIA - PIRACICABA/SP


Padre Giovanni Murazzo nasceu na Itália ( Campobasso, Palata) em 08 de julho de 1936. Entrou para o Instituto dos Missionários Xaverianos em 1950. Foi ordenado padre em 13 de outubro de 1963 pelo cardeal africano Rugambua.
Após dez anos atuando na ilha da Sardenha e sonhando com a missão no Japão e na Indonésia, acabou vindo para o Brasil em 19 de setembro de 1974.
Desde então atuou em várias frentes de pastoral seja como pároco, educador e animador missionário.
Desenvolveu seu apostolado em Laranjeiras do Sul, Lupionópolis, Verê, Londrina e Curitiba, no Paraná; Pirajú, Tejupá, Hortolândia, Matão e capital, em São Paulo.
No Rio de Janeiro foi assessor das Pontifícias Obras Missionárias.
Em 1987 voltou á Itália como animador missionário em Désio e Milão, retornando para O Brasil em 1995.
Foi Superior Regional dos Missionários Xaverianos por dois mandatos consecutivos, sendo este seu último apostolado antes desta transferência para Piracicaba.
Escritor profícuo sendo seus livros publicados no Brasil e na Itália. Entre suas publicações podemos destacar:

- Memórias do PadreLuigi Médici - edição bilingue portugues/italiano
- Os jovens e a civilização do amor - edição bilingue portuges/italiano
- Ide e evangelizai - Edições Paulinas
- O cêntuplo - multiplicação dos bens - editora Santuário (versão em italiano: Il Centuplo)
- A alegria da admiração - (versão em italiano: La gioia dello Stupore)
- La tre croci - (aguardando versão em português)

Sua vinda para Piracicaba será fonte de bençãos para a Paróquia do Imaculado Coração de Maria, da Paulicéia, e para toda a diocese.
Padre paciente, generoso, atualizado e amante da oração. Apaixonado pela missão "ad gentes" trará horizontes mais amplos aos horizontes missionários da Diocese de Piracicaba.

Ao comentar sua transferência assim se expressou:

"SIM....VAMOS AGRADECER....
DESEJO SÓ TIRAR AS SANDÁLIAS....PORQUE ESTOU ENTRANDO NUMA TERRA SANTA!
POSSAM A FAMÍLIA TRINITÁRIA E A CORTE CELESTE INTERCEDER POR MIM...
NÃO ERA ESTA A MINHA VONTADE!
MAS AGORA....GOSTO DE REPETIR...AS PALAVRAS DO NOSSO MESTRE E AMIGO: "NÃO A MINHA MAS...A TUA VONTADE ....O PAI SEJA FEITA!"
Possa O IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA....ter piedade de mim...e ME CARREGAR NO COLO!"
O meu abraço amigo....a todos...
PERSEVERANTES NA ORAÇÃO RECÍPROCA!"



domingo, 9 de janeiro de 2011

MADRE CELINA - 60 ANOS DE VIDA RELIGIOSA - A TRIBUNA DE PIRACICABA


Entrevista: Religiosas Maria Celina e Antonia

A rotina no mosteiro e a vida de clausura são abordadas pelas religiosas em entrevista a João Umberto NassiSegundo o teólogo, músico, filósofo e médico Albert Schweitzer “um homem não é grande por aquilo que ele faz e sim por aquilo a que ele renuncia”. Wanderley Ribeiro Pires, médico, professor universitário e consultor organizacional, afirma que os caminhos que conduzem a felicidade passam, necessariamente pelo altruísmo, solidariedade e compaixão. Afirma ainda: “Quando não estamos centrados naquilo que estamos fazendo, não estamos vivendo. Desperdiçamos muito tempo com preocupações irrelevantes, não percebemos a vida passar enquanto estamos ausentes, sonhando com o futuro ou vasculhando as lembranças do passado”. Os mosteiros ou monastérios cristãos ocidentais também são chamados de abadias, a vida em comum de um mosteiro cristão é chamada cenobítica, ela surgiu quando eremitas (homens do deserto) ou anacoretas (homens que se retiram) concluíram que viver sozinho podia conter o perigo da falta de discernimento, de orientação. Segundo a tradição, no século III, Antão do Deserto foi o primeiro cristão a adotar este estilo de vida. Wanderley R. Pires em seu livro “Qualidade de Vida” diz que “a humanidade está sofrendo “excesso de exteriorização”, vivemos ansiosos, tensos, sonhando com um lugar tranquilo, cada vez mais dificil de ser encontrado. A alternativa que se apresenta é procurar esse refugio dentro de nós mesmos, na paz e no silêncio do nosso mundo interior”. Com isso concluimos que a vida das irmãs do Mosteiro Imaculada Conceição está bem proxima da tão sonhada felicidade almejada por todos nós e oferecida em cada produto novo que a mídia introduz no mercado. Isso não significa que para descobrir a felicidade seja necessária uma conversão em massa da população, mas sim uma descoberta de onde encontra-se exemplos práticos de exercícios de auto conhecimento e fé. Aproximar-se destas monjas pode ser que determine novos parametros, novos pontos de vista sobre a exisntência humana. No próximo domingo, dia 9 de janeiro de 2011, Madre Celina, abadessa do Mosteiro da Imaculada Conceição, das Monjas Concepcionistas completará 60 anos de vida religiosa. A comunidade cristã estará festjando essa ocasão de grande alegria. O Mosteiro localizado na Avenida Armando Cesare Dedini, 891, telefones números 3421-0319 e 3421-2249 deverá receber um grande afluxo de pessoas de todos os credos, alguns para conhecerem a abadessa Madre Celina, cumprimetá-la, outros para agradecerem pelas suas orientações e orações.


Madre Maria Celina tem o nome civil de Maria da Conceição de Souza, nasceu em São Paulo no dia 13 de fevereiro de 1926, filha de Francisco Antonio de Souza e Ana de Souza que foram pais de 11 filhos, dos quais duas filhas seguiram a vocação religiosa: além da Madre Maria Celina a sua irmã Maria de Lourdes de Souza optou pela ordem salesiana. Uma das contemporâneas da Madre Maria Celina no Mosteiro da Luz é a Irmã Maria Antonia de Santana Galvão, que nasceu em 2 de maio de 1935, tem o nome civil de Maria das Dores Valente Paraiso é filha de Aureliano Paraiso e Anália Franco, originários da cidade de São Manoel.


Sua família era muito religiosa Madre Celina?

Iniciei o estudo do curso primário em uma escola no Belém, depois minha família mudou para a Penha, lá passei a estudar no colégio das Irmãs Vicentinas, ia diariamente de bonde aberto para as aulas. A minha família era muito religiosa, meus pais eram de comunhão diária, lembro-me que eles frequentavam a Igreja São José do Belém. As minhas brincadeiras de infância eram tipicas das crianças da época, brincava com boneca e demais atividades normais da idade, eu era uma criança ativa, espertinha, saudável. Às vezes, acompanhava pessoas da minha família que iam até o centro de São Paulo realizar alguma compra, atravessava a cidade para visitar o meu irmão casado. Eu levava uma vida comum a todas as moças da minha idade que moravam em nosso bairro.


Em que ano a senhora ingressou na ordem religiosa?

Foi em 1949, eu tinha 23 anos.


O que motivou a senhora a ingressar na vida religiosa?

O desejo de perfeição! Uma entrega total a Deus. Manifestei a minha intenção à minha mãe e ao conêgo Mayer, vigário da Paraóquia de São José do Belém. A minha mãe me acompanhou até a porta de entrada do Mosteiro da Luz, na avenida Tiradentes. Após alguns meses passei a utilizar o habito religioso, algum tempo depois fiz a primeira profissão de fé, mais três anos fiz a segunda, permanecendo até hoje na vida religiosa. Na “vestição”, o meu nome civil foi trocado pelo nome utilizado na vida religiosa.


Irmã Maria Antonia, a senhora nasceu em que cidade?

Nasci a 2 de maio de 1935 em São Paulo, no bairro Campos Elísios; estudei com as Irmãs Vicentinas nas dependências localizadas atrás do Liceu de Artes e Ofícios, e, de lá, fui para Guaratinguetá estudar com as Irmãs Salesianas. Em 1952, com 16 anos, ingressei no Mosteiro da Luz, que na época contava com 29 irmãs.


Ambas são fundadoras do Mosteiro de Piracicaba?

Atendendo ao convite do bispo dom Ernesto de Paula, viemos a Piracicaba, no início éramos cinco irmãs: madre Maria Celina, madre Maria Helena do Espírito Santo, madre Oliva do Coração de Jesus, Irmã Maria Cecília do Menino Jesus e eu Irmã Maria Antonia de Santana Galvão. Em 15 de agosto de 1956, fundamos o mosteiro em Piracicaba, que funcionou por 16 anos à rua Treze de Maio, em uma casa de propriedade da Diocese de Piracicaba. Recebíamos muitas noviças. Em 1972, foram construídas as instalações do Mosteiro da Imaculada Conceição, das Monjas Concepcionistas, com a importante participação do prefeito Francisco Salgot Castillon. Em 9 de janeiro de 1979, madre Maria Celina tornou-se madre Abadessa (superiora e responsável pelo mosteiro).


Como é a vida em clausura?

Saímos da clausura apenas para ir a alguma consulta ou tratamento médico e para cumprir o dever cívico de votar nas eleições.


Há algum contato com o mundo externo?

Antes não havia nenhum contato. Nem jornal, rádio ou qualquer outro tipo de veículo de comunicação.


Como se sente uma pessoa isolada dessa forma?

Quando ingressamos na ordem, movidas pela vocação, sentimos que Deus preenche o nosso coração, não há nenhum tipo de aflição ou preocupação. Não sentimos a necessidade de ficarmos impacientes.


Atualmente sofremos um verdadeiro bombardeio de informações e mensagens, ao que parece isso está gerando stress. Como à senhora, Irmã Maria Antonia, vê isso?

Quando se tem Deus no coração ele preenche tudo. Isso basta!


A vida reclusa aumenta a profundidade da fé?

Aumenta muito, há um isolamento do turbilhão que envolve o mundo. Atualmente, por aconselhamento superior, acompanhamos as principais noticias que são veiculadas pela televisão. Procuramos sintonizar as programações das emissoras católicas. É uma mudança que ocorreu, antes estávamos totalmente isoladas.


A imprensa noticiou que em uma reforma que foi feita no Mosteiro da Luz descobriu-se que em algumas paredes havia os restos mortais de algumas irmãs. Isso era um fato conhecido internamente?

Sabíamos que nas paredes estavam restos mortais das irmãs falecidas há muitos anos. Era uma prática corrente na época, havia também um cemitério nos moldes mais conhecidos. Existia uma orientação deixada pelo Frei Galvão de que não se mexesse nesses sepulcros.


As pílulas milagrosas de Frei Galvão estão disponíveis em Piracicaba?

Nós produzimos aqui no mosteiro. São confeccionadas a partir de papel higienizado, que já vem com a frase escrita: "Post partum, Virgo, inviolata permanansisti! Dei Genitrix, intercede pro nobis!” "(Depois do parto, ó Virgem, permaneceste intacta!

Mãe de Deus, intercede por nós!). Antônio de Sant'Ana Galvão, Frei Galvão, em 2 de fevereiro de 1774, fundou o Recolhimento de Nossa Senhora da Conceição da Divina Providência, hoje Mosteiro da Imaculada Conceição da Luz, das Irmãs Concepcionistas da Imaculada Conceição. No dia 11 de Maio de 2007, Frei Galvão foi canonizado pelo Papa Bento XVI, a Irmã Helena Maria do Espírito Santo empenhou-se muito para que ocorresse a fundação do Mosteiro da Luz. Essas pílulas foram originariamente criadas por ele, o principal elemento ativo delas é a fé.


Quem quiser ingressar na ordem é só ir até o mosteiro mais próximo?

Buscamos encontrar novas vocações, fazemos a divulgação dessa disponibilidade em aceitar novas candidatas à vida religiosa.


Madre Maria Celina poder comemorar 60 anos de vida religiosa a faz se sentir como?

Sinto-me muito feliz! Completamente realizada. (Nesse momento, chega a Irmã Elizabete, da ordem carmelita que veio da cidade de Franca, especialmente para assistir ao ingresso à ordem de uma nova religiosa, fato que deve ocorrer no dia seguinte)


Como é a cerimônia de ingresso na ordem?

A postulante despede-se dos seus familiares à porta do mosteiro. Em seguida, é conduzida à Sala do Capítulo. Há duas ocasiões em que essa sala é ocupada por uma irmã: no seu ingresso à ordem ou quando vai à Casa do Pai, ao falecer é nessa sala que a religiosa é exposta até ser sepultada. A vocação é o principal motivo para se levar uma vida reclusa e voltada para os propósitos de Deus. Tendo isso, a religiosa começa a passar pelos estudos filosóficos e teológicos, que dão sequência nos processos e nas regras do mosteiro, os quais envolvem cerimônias e rituais de confirmação da vocação


A visita as dependências do mosteiro é livre?

Só é permitida se houver necessidade de um operário dar manutenção ao prédio, a rotina diária do nosso trabalho é feita por nós, vivemos o regime de Clausura Papal. O bispo da diocese a cada três anos nos faz uma visita canônica. Há uma sala chamada parlatório, reservada para atendimentos.


Religioso de outra ordem pode entrar no ambiente de clausura?

Não é permitida a sua entrada. A capela aberta ao público é distinta da nossa capelinha interna.


No mosteiro, são feitos trabalhos de restauro?

Fazemos trabalhos de restauro, montamos terços, costuramos nossos trajes e vestes, realizamos todos os trabalhos necessários à nossa sobrevivência, cozinhamos, lavamos, passamos, cuidamos da horta.


A quem se reporta o Mosteiro local?

Cada mosteiro é autônomo, temos uma federação que reúne todos os mosteiros.


Há internet instalada no mosteiro?

Ainda não, mas a tendência é de logo ser instalada.


Apesar de reclusas há trabalhos realizados com a comunidade?

Realizamos obras sociais. Uma das mais conhecidas é a construção da escolinha Menino Jesus e do Centro Comunitário Santa Beatriz, no Jardim Novo Horizonte, realizadas com o apoio dos nossos amigos e colaboradores.


Madre Maria Celina a senhora foi homenageada pela Câmara Municipal?

Recebi o título de Cidadã Piracicabana, sendo que a cerimônia de entrega do título foi feita aqui no mosteiro, pelo impedimento da minha saída do mesmo. Entre as autoridades presentes estava o vice-prefeito Sérgio Pacheco, e sua esposa a vereadora Márcia Pacheco, o vereador Capitão Gomes, o deputado federal Antonio Carlos de Mendes Thame.


Na mão direita das irmãs há uma aliança, qual é o significado?

Recebemos em ocasião solene, simboliza o nosso casamento com Jesus Cristo.