domingo, 12 de dezembro de 2010

IRMÃS CONCEPCIONISTAS DE PIRACICABA


Claudinei Pollesel e Irmã Maria Antonia, carinho e amizade que vem de Deus!


IRMÃS CONCEPCIONISTAS DE PIRACICABA
“deixamos o mundo, não para o rejeitar, mas para melhor ajudar.”

O Mosteiro da Imaculada Conceição de Piracicaba, das monjas concepcionistas de Santa Beatriz da Silva, é habitado por cinco irmãs. São religiosas que dedicam suas vidas á oração.
Coincidentemente todas são descendentes de imigrantes europeus, portugueses, espanhóis e italianos. São duas paulistanas, duas piracicabanas e uma charqueadense.

- MADRE MARIA CELINA DA IMACULADA CONCEIÇÃO, (Maria da Conceição de Souza), filha de pais portugueses da cidade de Chaves, nasceu em São Paulo, no bairro do Belém, em 13 de fevereiro de 1926. Aos 15 anos começou a trabalhar como pespontadeira de calçados para ajudar nas despesas da casa.
Aos 23 anos entrou para o Mosteiro da Luz. Lá permaceu até 1956 quando veio para Piracicaba para a fundação do novo Mosteiro. Aqui foi mestra de noviças, restauradora e pintora de imagens sacras e cozinheira. Para ajudar na construção do novo mosteiro trabalhou dois anos para duas lojas de calçados, exercendo sua antiga profissão de pespontadeira. Era ajudada por suas noviças.
Com a morte da primeira Abadessa, Madre Maria Helena, foi eleita para este cargo em 1979 e permaneceu até 1991. Em 2003 foi reeleita como abadessa e exerce o cargo até hoje.
- IRMÃ MARIA ANTONIA DE SANTANA GALVÃO, (Maria das Dores Valente Paraíso), nasceu em 02 de maio de 1935 no bairro de Campos Elíseos, em São Paulo/SP. Estudou o primário com as irmãs vicentinas e o ginásio com as irmãs salesianas, em Guaratinguetá. Entrou para o Mosteiro da Luz com apenas 16 anos em 1952. Não havia ainda professado os votos perpétuos quando foi designada para a fundação do Mosteiro de Piracicaba. Aqui exerceu o ofício de rouperia, isto é, confeccionava o hábito das irmãs e secretária. Escreve muito bem e publica seus artigos no jornal de São Manuel, cidade de origem de sua família e na imprensa católica. Foi abadessa em duas ocasiões: de 1991 a 1993 e de 2000 á 2003. Atualmente é vigária, suplente da abadessa e secretária.
- IRMÃ MARIA LUCIA DA ASSUNÇÃO, (Marilene Vitti Mosna) piracicabana, descendente de tiroleses, nasceu em Santana em 16 de novembro de 1941. Estudou no colégio Assunção das Irmãs de São José. Entrou para o Mosteiro com 15 anos de idade. Foi a primeira á ingressar quando o mosteiro ainda estava na rua treze de maio, centro de piracicaba. Cuidava dos canteiros, cultivando flores para a capela, depois foi ajudante da Madre Maria Helena na cozinha. Conserta e pinta imagens sacras com perfeição. É a 2ª. Conselheira do Mosteiro.
- IRMÃ MARIA CELESTE DE SÃO JOSÉ, (Aida Cristina Moretti), nasceu em Piracicaba no dia 12 de novembro de 1935. Estudou no colégio Assunção e formou-se no magistério. Entrou para o mosteiro com 24 anos. Exerceu o cargo de Ostiaria e especializou-se em pintura e bordados.
- IRMÃ MARIA BEATRIZ DE JESUS HÓSTIA, (Conceição Aparecida Davanzo), nasceu em Charqueada em 27 de janeiro de 1955. Descendente de italianos e pelo lado materno, parente do Santo Papa Pio X. Entrou no Mosteiro com 19 anos em 1974. Excelente bordadeira, já fez várias toalhas de altar. Atualmente se dedica á cozinha e á pintura de peças sacras. Foi á primeira á ingressar no mosteiro já instalado em sua sede própria, na Vila Rezende.

Sãs elas que fazem todo o serviço doméstico, costuram e pintam toalhas para as igrejas, restauram imagens sacras e até recentemente faziam as hóstias utilizadas nas celebrações da missa.
O dia das irmãs tem 16 horas úteis, pois levantam ás 5 horas e vão dormir ás 21 horas. Seu dia é bem organizado e repartido entre o trabalho e a oração, de modo que, em média rezam seis horas por dia em comunidade. Mas nas demais horas estão em clima de oração, assim não deixam nunca de rezar.
As informações externas que recebem através da televisão, de cartas, jornais e visitas dão um sentido apostólico e missionário á vida de clausura das irmãs, tornando-as bem informadas.
Não visitam nem mesmo a família mas recebem a visita de familiares, amigos e benfeitores.
Usam hábito longo, branco, com manto azul e véu preto. O branco representa a pureza Imaculada de Nossa Senhora, o azul exprime que sua alma foi sempre um céu habitado por Deus

São estas cinco irmãs que mantém em ordem a bela construção do Mosteiro e ainda arrumam tempo para orientar, ouvir e aconselhar os que necessitam de auxilio.

(autoria: Irmã Maria Antonia, concepcionista e Claudinei Pollesel, do I.H.G.P.)

Nenhum comentário: