quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Padre Vicente Melillo - Herói da caridade






A figura ímpar de Vicente Melillo, imigrante italiano que tornou-se advogado, escritor, comendador, vicentino, esposo, pai de onze filhos e padre aos 80 anos, sempre intrigou-me e serviu-me de inspiração em muitos momentos de minha vida. Foi exemplo de amor á Igreja e ás coisas de Deus.
Seus pais imigraram da Itália para o Brasil em 1883 quando o pequeno Vicente tinha apenas 03 meses. Fixaram residência em Campinas.
Nesta cidade Vicente estudou e formou sua família, casando-se com Regina Morato do Canto. Foi bastante atuante na vida cultural, social e religiosa de Campinas , tanto que foi redator-chefe da revista “A verdade”, redator do jornal “Comércio de Campinas” e do semanário “O mensageiro”.
Bacharelou-se em Ciências Jurídicas e Sociais pela faculdade de direito de São Paulo e diplomou-se em Filosofia e Pedagogia pela Faculdade de Filosofia do Mosteiro de São Bento.
Por volta de 1920 transferiu-se para São Paulo, Capital onde atingiu altos escalões jurídicos.
Foi pai carinhoso de onze filhos, dos quais 03 faleceram na primeira idade e os outros assumiram as mais diversas funções na sociedade: Vicente de Paulo, médico e professor; Aniger, 2º Bispo Diocesano de Piracicaba; Santa, poetisa; Regina, escritora; Irene, assistente social; Zuleika, religiosa da Ordem da Visitação de Santa Maria; Auta, filósofa; Pérola, professora e historiadora.
Apóstolo ardoroso do trabalho de assistência social de Frederico Ozanan, seu trabalho como vicentino foi dos mais admiráveis e produziu frutos sólidos que testemunham ainda hoje a caridade deste imigrante italiano que fez de Campinas e São Paulo seu campo maior de ação.

ASSISTENCIA VICENTINA AOS MENDIGOS
Foi o fundador e presidente desta associação paulistana por mais de 30 anos. Mantinha atendimento médico, ambulatorial e de Serviço Social dirigido principalmente ás famílias necessitadas do bairro de Santa Cecília e adjacências em São Paulo.

ASILO DE VILA MASCOTE
Construída em área doada pelo próprio Dr. Vicente Melillo, que foi seu fundador, em 1931. Abrigou inicialmente os idosos, homens e mulheres. Depois passou a acolher doentes e crianças deficientes e abandonadas. Este asilo chegou a ter 50 pavilhões, mantendo atendimento também aos tuberculosos.
COLONIA AGRICOLA DE BUSSOCABA
Fundado em 1935 com o intuito de atender os homens, enquanto a Vila Mascote ficaria atendendo mulheres e crianças.
Hoje com o nome de Lar Bussocaba “presta assistência a idosos de ambos os sexos, raça e cor, condição social, credo político ou religião. É uma entidade filantrópica, caritativa, sem fins lucrativos.” Em plena atividade é um referencial no campo assistencial, que perpetua o nome de seu fundador e presidente.
Foi na intenção de prover esta instituição com a presença de um sacerdote que Dr. Vicente Melillo recebeu o convite de Dom Agnelo Rossi, cardeal de São Paulo, para que ele mesmo fosse o padre, tão necessário neste lugar carente da presença de Deus e de seu conforto.
Aceitou prontamente pois sua condição de viúvo permitia a ordenação sacerdotal e o exercício deste ministério, abraçado por seu filho Aniger.
Assim, aos 80 anos, em 1966, foi ordenado padre pelo próprio filho, Dom Aniger Francisco de Maria Melillo, Bispo de Piracicaba, com regalias especiais concedidas pelo próprio Papa Paulo VI: não precisou de estudos complementares, não precisava rezar o breviário, além do que foi-lhe permitido celebrar a missa totalmente em português, sendo assim o primeiro padre a receber esta licença no Brasil.
Celebrou mais de 1.000 missas em três anos de sacerdócio, falecendo santamente no entardecer do dia 03 de outubro de 1969. Recebeu a unção dos enfermos das mãos do próprio filho, Dom Aniger, as mesmas mãos que o havia ordenado padre.
A Prefeitura de Osasco prestou significativa homenagem póstuma dando-lhe o nome de AVENIDA PADRE VICENTE MELILLO, em 1970. Nesta mesma avenida está localizado o Lar Bussocaba.
Um resumo de sua vida nas palavras de sua filha Pérola Melillo de Magalhães:
“ Tua missão não terminou. Tu és grande demais para desapareceres. Continuarás neste mundo através de teus feitos, nas pessoas de teus pobres, na vibração de teus escritos, no éco de tuas palavras mas, principalmente, no reflexo de tua Fé! De tua grande e inquebrantável fé!”.

Claudinei Pollesel, piracicabano e historiador.